Notícias

Postado: 18/02/2022 | 15:44

COMPRA CONSCIENTE

Segundo pesquisa realizada pela Nielsen (empresa global de informação e dados digitais), depois da pandemia o número de pessoas focadas no consumo consciente aumentou.

A pesquisa apontou que, em relação a 2019, o número de pessoas que buscam suprir necessidades emergenciais e prioritárias aumentou em 67%. Naquele ano, as  compras de supérfluos atingiram 72% dos gastos no mundo.

O novo padrão de consumo é baseado na atitude de comprar o que é preciso, priorizar a saúde e as experiências (os bons momentos que o dinheiro pode proporcionar e que criam boas memórias) e, acima de tudo, praticar o controle de gastos. Com isso, a boa notícia é que as compras por impulso apresentaram uma queda de quase 42% em países emergentes e de 59,7% em países subdesenvolvidos.

Até 2019, 41% dos brasileiros praticavam o consumo desenfreado, segundo outra pesquisa – esta, da Confederação Nacional de Dirigentes Logistas (CNDL) em parceria com o SPC Brasil. 37% das pessoas entrevistadas admitiram que tinham comprado ao menos um item desnecessário nos 30 dias anteriores à pesquisa.

O que podemos depreender dessas duas pesquisas, é que a crise financeira decorrente da pandemia serviu como uma lição importante para que as pessoas valorizassem o uso racional do dinheiro.

E o benefício não é somente financeiro: consumir de forma consciente faz bem ao equilíbrio econômico, social e ambiental.

Esperamos que os dados dessas pesquisas cheguem até você como uma reflexão positiva de que é possível vencer a crise, se organizar e fazer do consumo consciente um hábito saudável para toda a vida.